ESBOÇO 826 COISAS QUE DEUS ABORRECE

ESBOÇO 826
TEMA: COISAS QUE DEUS ABORRECE
TEXTO: PROVÉRBIOS 6:12-19; TITO 3: 2

            A boa conduta humana é ressaltada em toda Bíblia Sagrada para que o homem viva bem, mas é preciso observar princípios fundamentais estabelecidos por Deus. As advertências servem para todas as pessoas, independentemente de classes sociais, culturais e religiosas. Há muitos estudos a respeito do comportamento humano, pois é baseado nesses estudos que se encontra a possibilidade de melhorar a qualidade de vida das pessoas. O mau comportamento de um indivíduo reflete não somente na sua vida pessoal, mas família e nas pessoas com quem ele conviver, também tem a capacidade de influenciar em uma sociedade inteira. Há tipos de atitudes humanas que são danosas, e são também reprovadas por Deus (Pv 6:12-19).

A conduta do ímpio
O iníquo não tem compromisso com nenhuma confissão religiosa e nem para com Deus, “O homem mau, o homem iníquo tem a boca pervertida” (Pv 6:12), ele usa todos os meios para cometer seus pecados (Pv 6:13). O coração do ímpio é perverso e a todo tempo maquina o mal, além de semear contendas (Pv 6:14). Eles cometem pecados que estão entre as seis coisas que Deus odeia e a sétima a sua alma abomina (Pv 6:16), são elas:
(1) Olhos altivos ou elevados, arrogantes.
(2) Língua mentirosa (Pv 30:10,11);
(3) Mãos que derramam sangue inocente;
(4) Coração que maquina pensamentos perversos;
(5) Pés que se apressam a correr para o mal;
(6) Testemunha falsa que profere mentiras;
(7) E o que semeia contenda entre irmãos;
(8) Fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado (Sl 12:2). “Que ninguém a difamem, e não sejam briguentos, mas pacíficos, mostrando toda mansidão para com todos os homens” (Tt 3:2.)

As consequências para os ímpios
(1) São como o moinho que o vento espalha (Sl 1:4);
(2) Não subsistirão no juízo e nem os pecadores na congregação dos justos (Sl 1:5);
(3) O caminho dos ímpios perecerá;
(4) O Senhor cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que falarem soberbamente, mesmo eles achando que valha apena pecar e zombe do Senhor dizendo: “quem é o senhor sobre nós? (Sl 12:4), achando que eles prevalecerão com seus pecados.

Advertências para os justos
O Salmo primeiro descreve muito bem como devemos agir em relação aos ímpios, mas é preciso fazer como diz: Ata-os perpetuamente ao teu coração, e pendura-os ao pescoço ( Pv 6:21);
(1) Não andar segundo seus conselhos.
(2) Não se deter nos caminhos deles;
(3) Não se assentar na roda dos escarnecedores;
(4) Não seja companheiro do homem briguento, e nem andes com o colérico, para que não aprendas as suas veredas, e tornes um laço para a tua alma (Pr 22:24,25).

Características dos justos e as bênçãos sobre ele
(1) Ele tem prazer na lei do Senhor e nela medita de dia e de noite.
(2) Não se assenta na roda dos escarnecedores;
(3) Será como a árvore plantada junto a ribeiros de água;
(4) Produz fruto no tempo certo;
(5) A sua esperança está sempre verde e não cairão;
(6) E tudo quanto ele fizer prosperará.

            Apesar de serem poucos os fiéis entre os filhos dos homens (Sl 12:1) existem aqueles que são justos e não seguem os caminhos dos ímpios, eles evitam todas as suas obras malignas praticadas por eles, estes receberão a benção do Senhor e a justiça do Deus da sua salvação, esta é a geração daqueles que buscam, daqueles que buscam a tua face, ó Deus de Jacó (Sl 24:6). Evitemos as coisas que aborrece a Deus, principalmente o semear contendas entre irmãos. Em todo esse texto verificamos que as recompensas dos ímpios são inevitáveis, assim como as bênçãos divinas sobre os justos.


Pr. Elis Clementino

ESBOÇO 825 HOSPITALIDADE, MANDAMENTO DIVINO

ESBOÇO 825
TEMA: HOSPITALIDADE, MANDAMENTO DIVINO
TEXTO: O estrangeiro residente que viver com vocês deverá ser tratado como natural da terra. Amem-no como a si mesmos, pois vocês foram estrangeiros no Egito. Eu sou o Senhor, o Deus de vocês. (Lv 19:34). “Não vos esqueçais da hospitalidade, pela qual alguns, sem o saberem, hospedaram anjosHebreus 13:2.

Hospitalidade, substantivo feminino, qualidade de que dar agasalho, pessoas de corações generosas ou bondosas, e que acolhem outras pessoas dentro da sua própria casa. Atitude nobre, caridade fraterna (Hb 13:1), para com aqueles menos favorecidos. Esse mandamento divino não deve ser esquecido (Hb 13:2), nesse assunto enfatizarei sobre o valor e o dever da hospitalidade para com o próximo, bem como a recompensa.

Hospitalidade
Ato de dar hospedagem em muito comum para as pessoas de bom coração, elas acolhem porque sabem da importância desse ato. As pessoas que são acolhidas se sentem valorizadas e protegidas.

Amor, a base da hospitalidade
O amor é a base onde se estabelece a hospitalidade, sem amor não existe acolhimento de pessoas, o amor nos faz sentir as necessidades que tem as outras pessoas “Lembrai-vos dos encarcerados, como se vós mesmos estivésseis presos com eles. E dos maltratados, como se habitásseis no mesmo corpo com eles” (Hb 13:3). Esse é um principio do amor divino, e deve estar presente nos corações, quando isso acontece o amor e a generosidade se revela através de atitudes.

Exemplos de hospitalidade
Disse Ló: “Meu senhor, se mereço o seu favor, não passe pelo meu servo sem fazer uma parada. Mandarei buscar um pouco d’água para que lavem os pés e descansem debaixo desta árvore. Vou trazer a vocês também o que comer, para que recuperem as forças e prossigam pelo caminho, agora que já chegaram até este teu servo”. “Está bem; faça como está dizendo” responderam. (Gn 18:3-5).

O profeta Elizeu foi acolhido por uma mulher em sua casa, ela preparou um quarto com uma cama e uma mesa (2 Rs 4:10,11), Elizeu era um homem reconhecido como “homem de Deus”, isso foi o que justificou a mulher hospedá-lo em sua casa. Na atualidade precisamos ter certos cuidados com o excesso de confiança, nem todos que se dizem homens de Deus merecem esse honrado dessa natureza. Existem pessoas que ao adentrarem a sua casa quer saber tudo o que tem lá dentro, “cuidado com quem você abriga em sua casa”. O rei Ezequias recebeu em sua casa visitas e mostrou todos os seus tesouros sem saber que seriam seus inimigos (Is 39:1-7), já Outras pessoas foram abrigadas em casas de parentes e amigos e tiveram boa conduta. Jesus foi abrigado por muitas famílias, inclusive a de Lázaro com suas irmãs; Paulo teve abrigo em casas de várias famílias em suas viagens missionárias, Deus levantou pessoas generosas para o ajudarem.

A hospitalidade resulta em bênçãos
Os hospitaleiros são recompensados por Deus no tempo oportuno, é como sementes que semeamos, certamente ceifarão seus frutos (Sl 126:3; Ec 11:1). O processo de semeadura expressa lições importantes para o nosso cotidiano, mesmo sabendo que ninguém consegue semear para colher tão rápido, pois temos que esperar o tempo certo da colheita. Finalmente Paulo em sua carta aos gálatas disse que tudo o que o homem semear, isso também ceifará (Gl 6:7), pois a lei da semeadura é infalível.

                Hospitalidade, além de ser um mandamento divino é um dos requisitos que enobrece o homem, o próprio Jesus disse: “porque tive fome, e me deste de comer; tive sede, e me deste de beber; era forasteiro, e me acolheste; estava nu, e me vestiste; adoeci, e me visitaste-me; estive na prisão, e foste me ver. Então os justos lhe responderam, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber? E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? Ou nu, e te vestimos? E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te? E, respondendo o rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizeste a um destes meus pequeninos irmão, a mim me fizeste” (Mt 25:36-40). “E aquele que der até mesmo um copo de água fresca a um destes pequeninos, na qualidade de discípulo, em verdade vos digo que de modo algum perderá a sua recompensa” (Mt 10:42). Deus levará em consideração os seus atos de hospitalidade, atualmente muitos não querem agir com hospitalidade para com alguém que não lhe possa de alguma maneira lhe trazer resultado, ou o que evidencie alguma vantagem.


Pr. Elis Clementino

ESBOÇO 824 GUARDA O TEU CORAÇÃO

ESBOÇO 824
TEMA: GUARDA O TEU CORAÇÃO
TEXTO: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida” PROVÉRBIOS 4:23

                Deus exige do ser humano um coração limpo ou puro, desprovido de qualquer tipo de pecado, como os maus pensamentos, inveja e orgulho, porque somente um coração puro e simples será aceito por Deus. Tudo o que condena o homem sai de dentro do seu coração, e o que há nele se manifesta nele de várias maneiras, no falar, no andar, no olhar, entre outros tipos de comportamentos. Os princípios fundamentais para a boa conduta humana já foi dado pelo Senhor a Moisés no Sinai, as tábuas da lei, nela continha tudo o que o homem precisava para viver bem e respeitar os direitos das outras pessoas, o descumprimento ou a violação desses mandamentos implicará no julgamento divino.

1. O coração lhe denuncia
O nosso jeito de falar expressa aquilo que está dentro do nosso coração, “Mas o que sai da boca, procede do coração, e isso contamina o homem. Porque do coração procedem os maus pensamentos, mortes, adultérios, formicação, furtos, falsos testemunhos e blasfêmias” (Mt 15:18,19; 26:73). A nossa maneira de agir revela tudo o que está dentro do homem, embora ele tente esconder através de algumas manobras, a final ele não pode disfarçar muito tempo aquilo que ele não o é. Na Bíblia algumas pessoas agiram com disfarce, mas em seguida tudo foi descoberto, Saul (I Sm 28:8); e Acabe se disfarçou (2 Cr 18:28-33); a mulher de Jeroboão (I Rs 14:4). O que está dentro do coração do homem um dia será revelado, não adianta você perecer justo quando na realidade o coração não é.

2. O juízo divino
Ele é certo Por isso, vos afirmo que de toda a palavra fútil que as pessoas disserem, delas prestarão conta no dia do juízo. Porque pelas tuas palavras serás absolvido e pelas serás condenado” (Mt 12:36,37). Às vezes desejamos ver a antecipação do julgamento divino nas pessoas que nos ofenderem, mas se não pagarem aqui não escaparão no juízo divino. Julgar as pessoas e condenamo-las perante a opinião pública sem ter como ela se defender é uma covardia, isso acontece até com líderes religiosos que aprenderam a difamar as pessoas nos púlpitos das igrejas, condenando indivíduos honestos e descentes tratando-as como rebeladas por não fazer parte mais da sua igreja, ou que saíram, mas assim fazem para esconder seus males, eles mentem, maquiam os seus malefícios e os que não aceitarem as suas aberrações perigosas são tachados de rebelados, simplesmente por não compartilharam com as suas mentiras e corrupções, mas nada adianta esconder, aos poucos tudo vai sendo revelado (Ec 12:14; Mc 4:22; Mt 10:26; Lc 8:17; 12:2).

3. As nossas palavras
As nossas palavras precipitadas hão de serem julgadas, “Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu, na terra; portanto, sejam poucas as tuas palavras. Porque dos muitos trabalhos vêm os sonhos, e do muito falar, palavras néscias.” (Ec 5:2,3), essa é a lei da semeadura, o que plantamos colhemos. Não devemos acusar e condenar as pessoas, os julgamentos delas devem começar primeiro dentro de nós, antes de condenar as outras pessoas, é preciso antes de tudo tirar a trave dos seus olhos para depois enxergar o argueiro do olho delas (Mt 7:5), pois é importante o homem examinar-se a si mesmo, isso não deve ser feito somente no momento da Santa Ceia do Senhor como recomenda Paulo (I Co 11:28), mas a todo momento. Aquele que se considera sem pecado engana-se a si mesmo (I Jo 1:8; Jo 8:7).

                Ter um coração desprovido de qualquer pecado, maldade, ódio é satisfazer a vontade de Deus, isso é o que ele exige de cada um, portanto devemos ter cuidado para mantê-lo sempre limpo procurando fazer o que disse o Apóstolo Paulo “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (Fp 4:8). Bem-Aventurado os limpos de coração (Mt 5:8). Sabemos que o juízo divino sobre os corações maus está às portas, por isso cuidado com o que falas (Pv 4:24), porque ela te denuncia, também não tenhas aparência de justo, seja justo, controle seus desejos, principalmente os de vingança.

Pr Elis Clementino


ESBOÇO 823 RAABE, SALVA PELA HOSPITALIDADE.

ESBOÇO 823
TEMA: RAABE, SALVA PELA HOSPITALIDADE.
TEXTO: “Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com os desobedientes, tendo acolhido em paz os espias.Hebreus 11:31

Geralmente pregamos que Deus transforma e restaura pessoas, mas ao mesmo tempo através das nossas atitudes dependendo do tipo de pessoa duvidamos. Veremos nesse mote a história de uma mulher chamada Raabe, uma mulher que conforme a bíblia ela era uma meretriz. Essa é uma história muito interessante, através dela podemos entender que os propósitos de Deus são inconfundíveis. Deus é capaz de realizar o seu querer na vida das pessoas sem importar as sua situação ou condição social, basta apenas que elas dêem lugar e obedeçam a Deus. O seu belo exemplo de acolher os espias tocou o coração de Deus, e isso resultou em uma grande mudança e uma alta posição a qual veremos no decorrer mais adiante.

1. Quem era Raabe?
Ela é um personagem da Bíblia que conforme o livro de Josué era uma prostituta que morava nos muros de Jericó, essa mulher certamente após ouvir os relatos dos israelitas a respeito do povo hebreu e como eles foram salvos da escravidão e os milagres divinos durante a peregrinação resolveu posteriormente após ser salva seguir os israelitas.

Uma mensagem proclamada sob os feitos de Deus podem mudar vidas.

2. Raabe, uma mulher determinada
2.1. Apiedou-se dos espias enviados por Josué.
2.2. Escondeu-os dentro da sua própria casa;
2.3. Assumiu o risco de ser preza ou perder a sua própria vida por causa dos espias ou mesmo de ser morta pelos próprios israelitas durante a invasão a Jericó.

Quando Deus está no controle tudo é possível, as circunstâncias mudam em favor daqueles a quem o Senhor tem algo, Raabe foi uma mulher de coragem e determinação. Durante a visita daqueles homens se acendeu dentro dela a fé e a esperança em algo melhor para si. As nossas atitudes generosas podem mover o coração de Deus, Raabe teve a sua fé reconhecida na galeria dos heróis da fé (Hb 11:31), ela teve a sua fé justificada “E de igual modo Raabe, a meretriz,  não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários, e os despediu por outro caminho?” (Tg 1:25). Aquilo que está dentro dos propósitos de Deus será cumprido, se aqueles espias foram acolhidos na casa de Raabe, era porque Deus haveria de realizar algo em sua vida. Muitos para alcançar algo de Deus estiveram em situação de risco. Quando Deus está no controle ele indica uma saída para nos salvar de uma situação, Raabe olhou para aqueles dois espias e apresentou que podia perder a vida caso Jericó fosse invadida pelos israelitas e algo deveria ser feito em seu favor, os espias tinham agora a responsabilidade de salvar aquela pobre vida, muitas vezes Deus permite que a última palavra esteja em nossa boca, eles, porém lhes disseram ponha um fio de escarlate na janela por onde descemos, esse era um segredo que somente os espias e os israelitas entendiam. Quem se lembra do sangue nos umbrais e nas Vegas das portas quando estavam no Egito? Só que dessa vez usaram um fio vermelho, eles também ordenaram a mulher dizendo: traga toda a sua família para dentro da sua casa e você e a sua família será salva quando entrarmos em Jericó (Js 2:12,18,19,21). A sua família foi contemplada pelo heroísmo de Raabe.

                Cada indivíduo tem a sua história, observe também que cada um faz a sua parte, Raabe fez a sua (1) Esconder os espias; (2) Colocar um fio de escarlate na janela; (3) Trazer toda a sua família para dentro de sua casa. Na visão de muitas pessoas consideradas religiosas e preconceituosas não permitiria aqueles homens entrarem em casa de uma prostituta, até hoje é assim, chegar-se a uma prostituta, homossexual ou pessoas de má índole para pregar o evangelho, pois é como se eles não merecessem ou se tivesse dúvidas do que Deus realize na vida dessas pessoas. Quando se analisa a história de Raabe entendemos que o acontecimento nos trás lições importantes, levemos em consideração que as oportunidades não devem ser desperdiçadas, fale dos feitos de Deus para as pessoas independentemente de que classes sociais sejam, pois Deus está ao alcance de todos, Jesus Cristo foi o maior exemplo disso, ele entrou em casa de pecador, salvou adulteras, mesmo sendo ridicularizado. A história de Raabe atravessou gerações e fronteiras, além disso, Deus a fez tomar parte na árvore genealógica de Jesus Cristo (Mt 1:5). Deus realiza nas pessoas que dão lugar tanto o seu querer quanto o efetuar (Fp 2:13), não há como rejeitar aqueles a quem Deus tem propósitos.

Por pior que o indivíduo seja, maiores serão as misericórdias de Deus para com ele. Você acredita em mudança nas pessoas?


Pr. Elis Clementino

ESBOÇO 822 ROBOÃO, UM LÍDER INSENSATO.

ESBOÇO 822
TEMA: ROBOÃO, UM LÍDER INSENSATO.
TEXTO: I REIS 12: 1-13

                Autoridade, capacidade de comandar, liderar, gestor, ou gerenciar pessoal é uma das tarefas difíceis existem dois tipos de autoridade, a conquistada e a aplicada pela força, em ambas exige-se do líder a capacidade e equilíbrio emocional, ou seja, sabedoria e domínio próprio, seja o líder de qualquer área, no âmbito profissional, político e religioso, dos três quem mais merece atenção é o religioso por ser bastante delicado lhe dar com o estado espiritual das pessoas.

1. A liderança pode ser exercida:
a) Pelo poder
b) E pela conquista

2. Os três tipos de liderança
a) Liderança autocrática, nesse estilo o líder toma as principais decisões sem a participação do grupo.
b) Liderança liberal. Há liberdade completa para as decisões do próprio grupo, ou individuais, nesse tipo a participação do líder e mínima.
c) Liderança democrática, esse tipo de liderança as diretrizes são debatidas pelo grupo e o líder o assiste, ou seja, o líder se torna parte do grupo e principais decisões.

3. Requisitos necessários para uma boa liderança
a) Empatia, a capacidade psicológica de sentir o que sentiria outra pessoa, ou seja, a capacidade de se colocar no lugar de outro, compreender o comportamento dos outros em determinadas circunstancias.
b) Profissionalismo, o conhecimento é importante, embora haja pessoas que são líderes natos em terem a habilidade para liderar pessoas, porém outras têm conhecimento profissional, porém não sabem lidar com seus liderados.
c) Domínio próprio, pois exigido do líder o controle emocional em todas as circunstancias, esse equilibro enobrece a sua autoridade.
d) Interação, um bom líder consegue influenciar os seus subordinados, de maneira que eles se dispõem a cumprir além do que o líder lhe pede.

4. A insensatez de um líder tem como prêmio a sua própria ruína.
Um líder se torna insensato quando despreza os valores acima. Todo líder deve ter o conhecimento que o verbo estar indica posição de liderança transitória, e que poderá perder a qualquer momento, principalmente pelo desprezo aos valores que o enobrece, pois estar é presente, e não dá nenhuma garantia da permanência. Muitos líderes se perdem no meio do caminho por causa do orgulho, e assim abusam da sua autoridade e arruínam a sua própria liderança. Na Bíblia temos um brilhante exemplo de excesso de autoridade, há dois tipos de erros que são cometidos por muitos líderes da atualidade, principalmente líderes religiosos, são eles: Exibirem forças sobre seus liderados e não aceitar conselhos dos mais experientes (I Rs 12:1-13), esse é um péssimo exemplo para aqueles que aspiram liderança. A maior ameaça a um líder é o seu orgulho.

Quando isso acontece com os lideres religiosos é muito ruim, pois há alguns deles que não dão ouvidos aos seus auxiliares, ou seja, aqueles estão em sua volta, simplesmente com o argumento de que foi Deus quem o colocou na posição, e que Deus está dando as diretrizes da sua liderança, e com esse pretexto cometem absurdos em nome de um chamado divino, e ainda diz: “Não toqueis nos ungidos do Senhor, nem maltrateis os meus profetas” (I Cr 16:21-22), mas as vezes esses ungidos ultrapassam dos limites, e todos os seus liderados tem a obrigação de aceitar e com a ameaça de serem tachados de infiéis e desobedientes, e até expulsá-los da congregação, no meu conceito quando um líder chega a essa altura a liderança do seu ministério já terminou, e para se firmar nele terá pela frente uma grande batalha de contendas e confrontos, essas coisa somente trará prejuízo para a igreja.

Para quem deseja ser líder eu aconselho que inicie com humildade, sabendo que hoje você pode estar, mas amanha não. Empregar a força desgasta o próprio líder, pois o tipo de liderança que mais dá resultado é aquela que é conquistada, os liderados se disponibilizam a produzir muito mais nesse tipo de liderança, principalmente quando se trata de líderes de entidade religiosa, onde o poder da conquista é muito mais importante. O líder não deve desprezar os requisitos essenciais para uma boa liderança sobre tudo a empatia, interação e domínio próprio, eles são necessário para exercício da liderança. “A liderança é a capacidade de conseguir que as pessoas façam o que não querem fazer e gostem de fazer.” Harry Truman; “Grandes líderes mudam de estilo para levantar a auto-estima de suas equipes. Se as pessoas acreditam nelas mesmas, é impressionante o que elas conseguem realiza” Sam Walton; “O maior líder é aquele que reconhece sua pequenez, extrai força de sua humildade e experiência da sua fragilidade.” Augusto Cury. Pense nisso se você é líder ou deseje ser.


Pr. Elis Clementino

Foto