MOISÉS, UM LÍDER DE VERDADE

ESBOÇO 679
TEMA: MOISÉS, UM LÍDER DE VERDADE
TEXTO: ÊXODO 17:8-16

            O homem chamado por Deus tem todas as prerrogativas dadas por Ele durante a vida ministerial. Moisés foi escolhido para comandar o êxodo, ou seja, à saída dos hebreus da terra do Egito para a terra prometida, mediante a isso o Senhor capacitou-lhe dando poderes para que fosse reconhecido tanto pelos hebreus, quanto pelos egípcios. Durante o seu ministério houve alguns episódios que se destacaram, e através deles muitos líderes da atualidade podem ser ajudados no seu ministério ou em suas missões religiosas.

Missão e a autoridade de Moisés
A missão imposta por Deus a Moisés foi de grande responsabilidade, pois a ele foi designada uma tarefa dura e inquestionável, não seria pela sua capacidade física e nem intelectualidade, mas o querer de Deus naquele momento, para Moisés aquele foi o maior desafio comandar o êxodo, pois ele teria que enfrentar a maior fera, Faraó e o seu exército. Diante da chamada divina o seu temor era evidente
quando ele via a sarça arder sem se consumir, embora às vezes diante de uma missão que nos é imposta por Deus nos sentimos incapacitados quando olhamos para o tamanho dos desafios. Alguns questionamentos foram feitos por Moisés “Quem sou eu para que vá a Faraó e tire o povo de Israel do Egito?” (Êx 3:11); depois Moisés diz: “Eu sou pesado de língua” (Êx 4:10). Pelas experiências vividas no Egito ele sabia bem quem ele enfrentaria (Êx 3:19).

A vara de Moisés
Era um símbolo de autoridade espiritual, seria um instrumento pelo qual Deus mostraria o seu poder (Êx 4:1,2), era a vara de Deus (Êx 17:9), com ela houve o primeiro milagre no Egito, a vara jamais se afastou da sua mão em todo o seu ministério (Êx 17:5); quando as águas se transformam em sangue, e nas pragas também (Êx 7:15-17);  Na atravessia do mar vermelho (Êx 14:16); Quando Moisés feriu a rocha que saiu água (Êx 17:5); Na guerra contra os amalequitas, conforme a expressão de Moisés a vara de Deus estará na minha mão (Êx 17:9).

Amaleque contra Israel
Os amalequitas vieram para a peleja contra Israel, mas diante desse povo havia um comandante “Moisés” escolhido por Deus, e a vara de Deus estava em sua mão, símbolo de poder e autoridade (Êx 17:9), durante a peleja o cansaço de Moisés era notável, enquanto ele levantava as mãos Israel prevalecia, mas ao cansar e baixar as mãos prevalecia Amaleque, mas consigo subiram ao monte Arão e Hur, enquanto Josué lutava contra os amalequitas. Arão e Hur sustentavam nas mãos de Moisés, puseram uma pedra debaixo dele para que os seus braços permanecerem erguidos até ao por do sol e Israel venceu a batalha (Êx 17:11,12).

            Nessa ocorrência aprendemos algumas lições importantes, inclusive a vara de Deus ou cajado nas mãos de Moisés (1) Esse era um instrumento de disciplina e de demonstração da autoridade espiritual dada por Deus a Moisés; (2) Em todas as pragas e milagres a vara de Deus estava em ação; (3) Moisés entendia que era totalmente dependente de Deus, sempre o consultava nas necessidades; (4) Moisés pediu ajuda de Arão e Hur quando subiu ao monte, embaixo estava Josué na batalha contra os amalequitas; (5) Moisés depositou confiança em Josué que ficou comandando a batalha enquanto as mãos de Moisés eram erguidas por Arão e Hur. Não podemos descartar pessoas ligadas a nossa vida ministerial, pois a vitória se dá através da cooperação mútua dos demais membros do ministério. Os exemplos deixados por Moisés devem ser seguidos, pois ele foi o maior líder da história da humanidade e toda liderança é baseada nesse grande líder, duas coisas um líder precisa ter em mente, Ter consciência da chamada divina e humildade (I Pe 5:1-4) leia com bastante resignação.


Pr. Elis Clementino-Paulista-PE

NEM TUDO QUE PENSO DEVO FALAR.



ESBOÇO 678
TEMA; NEM TUDO QUE PENSO DEVO FALAR.
TEXTO: ECLESIÁSTES 5:2

            Há duas coisas que devem ser levadas em consideração, o que pensar e o que falar, essas faculdades são inerentes aos homens e indispensáveis para a sua comunicação. É de fundamental importância que levemos em consideração o tempo e o modo de falar, ou seja, a hora e a maneira de expressar verbalmente o que pensou. Ora! Podemos pensar a todo o momento, porém falar o que pensou não. “tempo de estar calado, e tempo de falar; ”(Ec 3:7b).

Pensar
É uma palavra originada do latim, formar idéias, cogitar, raciocinar, refletir, imaginar e julgar. Naturalmente o homem tem a faculdade pensar e expressar por meio da fala o que pensa; coisa que não acontecem com os animais por serem irracionais, embora eles tenham maneira de se comunicarem entre si. Cada indivíduo tem a capacidade de controlar o que pensa e o que fala, ou seja, se fala ou não o que pensou e de que maneira expressará. A mente humana pode esconder algo que somente pode tornar conhecida através da sua fala como também pelas atitudes.  - Pensar pode, dizer tudo o que pensou nem pensar.

O poder das palavras
As nossas palavras podem revelar algo que está em nossa mente, sejam boas ou más, elas podem tanto nos comprometer quanto as outras pessoas, por essa razão elas devem ser ponderadas, ou seja, avaliadas, analisadas ou ajuizadas antes de serem faladas. As nossas palavras podem ser vazias e sem efeitos, pois nem sempre estamos aptos nem se quer para ser um mensageiro de noticias; “Amaás foi um mensageiro sem mensagem nos dias de Davi (2 Sm 18:19-33). Muitas vezes não estamos aptos para dar noticias, sejam elas boas ou más, Joabe o filho de Davi sabia que Amaás não estava apto para dar ao rei a noticia da morte de Absalão  “Mas Joabe lhe disse hoje não serás o portador de novas, porém outro dia as levarás; mas hoje não darás a nova, porque é morto o filho do rei.” Sempre há pessoas certas para o momento certo, porém existem alguns indivíduos que não servem para ser porta-voz de alguém porque eles podem criar situações desagradáveis para quem ele representa. Há certas autoridades que tem o seu porta-voz para dar as noticias em seu lugar, mas essas pessoas devem ser equilibradas e qualificadas para esse fim. Amaás se antecipou e não soube dizer o que houve com Absalão “Um mensageiro sem mensagem” Amaás assumiu toda a responsabilidade pelo recado (2 Sm 18:22,23,29).

A precipitação das palavras
Antecipar a fala sobre algo sem refletir é precipitação, Salomão interroga dizendo: “Tens visto um homem precipitado no falar? Maior esperança há para um tolo do que para ele.” (Pv 29:20). “A língua dos sábios adorna a sabedoria, mas a boca dos tolos derrama a estultícia” (Pv 15:1,2). “Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; assim sejam poucas as tuas palavras.” (Ec 5:2). As palavras irrefletidas podem causar transtornos, principalmente nos momentos de iras. “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira.” (Pv 15:1).
As nossas ações e palavras estúpidas surgem de dentro do coração “Raça de víboras, como podem vocês, que são maus, dizer coisas boas? Pois a boca fala do que está cheio o coração” (Mt 12:34; 15:19; Lc 6:45).

Controlando a fala “língua”
O controle sobre a nossa língua é imprescindível, a vigilância deve ser constante, o Apóstolo Tiago nos mostra a necessidade de manter o controle sobre o que proferimos por que:
(1) Seremos julgados pelas nossas palavras;
(2) A nossa fala mostra os nossos fracassos;
(3) Ela mostra as nossas imperfeições e perfeições;
(4) Ela pode causar grande estrago é a faísca que incendeia um bosque;
(5) Ela tem duas faces da língua. (Tg 3:1-13).

            Devemos ser prudentes no nosso falar, porque a nossa fala revela aquilo que esta dentro de nós, ela também mostra as nossas imperfeições e tolices, e ainda somos julgados pelas nossas palavras. A língua tem duas faces, com ela bendizemos a Deus e amaldiçoamos os nossos semelhantes, ela ainda exerce juízo sobre nós, ou seja, podemos ser condenados pelas nossas palavras. Amados tenham cuidado com o que fala, saiba que falar pouco e ponderar o que fala é sem dúvida uma grande virtude. “Quem toma cuidado com o que diz está protegendo a sua própria vida, mas quem fala demais destrói a si mesmo.” “Quem fala demais sempre acaba caindo em contradição, então aprenda duas coisas: só fale o necessário e saiba atiçar a língua das pessoas.” Mallu Morais. (Ponderem bem o que irá falar)

Pr. Elis Clementino-Paulista-PE


REFAZENDO O VASO

ESBOÇO 677
TEMA: REFAZENDO O VASO
“Como o vaso que o oleiro fazia de barro se lhe estragou na mão, tornou a fazer dele outro vaso, segundo bem lhe pareceu. Então, veio a palavra do SENHOR: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? – diz o SENHOR; eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel. (Jr 18.1-5).

Olaria, lugar de fabrico de peças de barro. É impressionante ver o oleiro trabalhar na confecção de tais peças; principalmente a habilidade com que eles trabalham. No entanto, Deus se apropriou dessas experiências para ilustrar expressando algumas verdades espirituais. Ele poderia usar outras formas, mas preferiu aplicar essa lição em relação ao seu povo. O texto trata de forma mais direta sobre a maneira de Deus agir com a finalidade de restaurar uma nação. Podemos aplicar também em relação ao modelar de Deus na vida do homem, com a finalidade de prepará-lo para algo que está na mente de Deus.

Os propósitos de Deus
Ninguém conhece os propósitos de Deus. Eles transcendem qualquer imaginação humana. Por não os entendermos complicamos um pouco, porém ele, na sua multiforme maneira de operar consegue nos moldar aos seus desígnios; e, enquanto isso acontece, passamos por vários processos que jamais gostaríamos, até que a sua vontade seja realizada. Os caminhos que o Senhor nos leva são como labirintos, às vezes nos deixam cheios dos porquês. Lendo alguns textos podemos entender que as nossas mentes não alcançam esses procedimentos, mas sabemos que Deus está no comando (Ec 11.5; Jo 3.8; Is 55.8,9; Jo 13.7).

Profeta na casa do oleiro
Deus leva o profeta até a casa do oleiro; ele poderia até usar outros métodos para expressar as suas verdades, como fez com Ezequiel no vale de ossos secos (Ez 37.1-14) entre outros. O homem não tem vontade própria mediante os propósitos de Deus em sua vida, ele deve entender que existe sobre ele a soberana vontade dele. Jeremias foi levado à casa do oleiro não para simplesmente assistir ao fabrico de vasos de barro (Jr 18.1-4), mas aprender uma grande lição. Todo sofrimento do profeta era uma espécie de modelação para Deus realizar algo através de Jeremias cuja finalidade maior era “fazer a vontade de Deus, anunciando a Israel os seus pecados e o juízo divino sobre ele”. Não importa de que maneira o SENHOR nos use, com ou sem sofrimentos, o que mais importa é fazer a sua vontade, não importa o tamanho da missão, apenas cumpra-a.
Mediante tantos sofrimentos o Senhor leva Jeremias para ver o oleiro trabalhar sobre as rodas com o barro; Depois de pronto, o vaso quebrou em suas mãos, o oleiro toma o barro novamente e refez outro como bem lhe pareceu (Jr 18.4,5).

“O vaso partiu-se nas mãos do oleiro, o qual o refez, porém, diferente do vaso anterior. Esta parábola contém várias lições importantes sobre a obra de Deus em nossa vida. (1) Nossa submissão a Deus como aquele que molda tanto o nosso caráter quanto o nosso serviço para ele determina em grande parte o que ele pode fazer através de nós. (2) Falta de profunda dedicação a Deus, da nossa parte, pode estorvar seu propósito original para a nossa vida, podendo até mudar seus planos para nossa vida e fazer outro vaso, conforme bem pareça aos seus olhos (V 4).

Muitas vezes Deus quer cumprir alguns propósitos na vida de pessoas e até nações nos usando como instrumentos, mas para isso há um caminho a ser trilhado, seja ele suave ou áspero. As provações que passamos tem alvos que resultarão para o nosso bem (I Pe 1.7; Rm 8:28) como também de outras pessoas, principalmente quando se trata de uma restauração espiritual de alguém ou de uma nação. Devemos nos colocar nas mãos de Deus e dizer: “SENHOR, faze em mim a tua vontade”. O profeta sofrera perseguições, foi odiado pelos próprios irmãos, amarrado no tronco, ameaçado de morte, nada ele entendia, por essas razões pede a Deus esclarecimento do que estava acontecendo (Jr 32.16.24). Para onde Jeremias ia às coisas não pareciam bem aos seus olhos, a sua visão era que tudo estava dando errado. Você conhece a história da bordadeira, nada entendemos quando ela está bordando nos bastidores de roda, o lado avesso nada se entende, é o maior labirinto de fios de tecidos; mas do lado superior se observa a perfeição do que ela está fazendo (Jo 13.7). Tranquilize o seu coração, o SENHOR está no controle.


Pr. Elis Clementino – Paulista – PE
ESBOÇO 676
TEMA: CONTRAVERSÃO DOS VALORES MORAIS
TEXTO: Ai dos que chamam ao mal, bem e ao bem, mal, que fazem das trevas, luz e da luz, trevas, do amargo, doce do doce, amargo! Isaias 5:20

            Vivemos um mundo moderno com crescente inversão de valores, embora se saiba que a contraversão sempre existiu, mas, recentemente ela tem se propagado e alcançado pessoas de todas as idades nas camadas sociais, parte disso deve-se aos meios de comunicações sociais “mídia”, pois elas têm grande capacidade e velocidade de influenciar multidões, levando o que é bom e o que é má, com isso as pessoas são estimuladas tanto para o bem quanto para o mal. Podemos citar alguns exemplos que contribuem para o bem como: conhecimento na área da tecnologia fazendo com que as pessoas sejam mais esclarecidas, em contrapartida tem a promoção da violência, a desvalorização da família, da vida, a degradação moral, embora que para muitos nada signifique, como se tudo estivesse dentro da normalidade.

A ética e a inversão de valores
(1) A palavra ética é originada do grego significando “aquilo que pertence ao caráter” e está relacionada com os valores humanos, a ética na filosofia estuda os assuntos morais, modo de ser e agir dos indivíduos, como também seus comportamentos e caráter. A ética na filosofia busca descobrir porque cada indivíduo age de modo dessemelhante, e este diferenciar demonstra o que significa o bem e o mal, e o mal e o bem. A ética distinguir-se da moral, uma vez que a moral está relacionada a regras, normas e costumes de cada cultura, e a ética é o modo de agir das pessoas.

(2) A inversão de valores constrange a sociedade, forçando-a aderir a qualquer custo todo tipo de coisas comprometedoras e imorais que contrariam até a natureza, no entanto, a vida moral para alguns não tem mais sentido, a degradação do ser humano é tida como normal onde o errado é certo e o certo é errado, assim as crescentes abominações destroem, corrompem e escravizam vidas.

(3) O sentimento humano está cada vez mais fragilizado, de maneira que a dor das outras pessoas parece não doer, ou seja, não sentimos mais a dor do próximo mesmo quando perde a vida, isso se tornou comum, pois a mídia apresenta a todo o momento. Alguns programas só dão ibope se apresentar carnificina e vidas ceifadas, “Não porei coisa má diante dos meus olhos...” (Sl 101:3). Por outro lado, a mídia também explora a sensualidade se utilizando de imagens com mulheres desnudadas como o meio de atrair as pessoas, daqui a pouco até nos pacotes de bolachas e nas balas das crianças terão que ter uma mulher desnudada para poder atraí-las, podemos afirmar que não existem apenas falta de criatividade, como também, um forte apelo sexual no setor de marketing, e por isso a sexualidade é explorada sem nenhum limite (2 Tm 3:1-9), o pior é o que o estado tenta passar para as escolas cartilhas que estimulam cedo as criancinhas a prática sexual e a perversão.

A deformação do caráter começa cedo
(1) Quando uma criança chega à adolescência ele já viu e assistiu muitos crimes violentos na televisão, nas ruas e etc. Atualmente é o que presenciamos, afora os games violentos que vai deformando o caráter de muitas crianças e adolescentes, isso imediatamente vai sendo transferido para as escolas, pois eles já receberam estímulos de agressividade.

(2) Muitos adolescentes já se encontram envolvidos na marginalidade, alguns deles ainda atuando de maneira velada, igualmente, outros estão sendo trabalhados por marginais para começarem a atuar de maneira mais envolvida, esses motivos vêm angustiando pais e professores, todos trabalham na mesma direção para saberem o que fazer, ou ao menos diminuir esse tão grave problema, porquanto é exatamente isso que tem preocupado a sociedade do mundo inteiro.

(3) Estamos muito longe da solução, pois, existe uma série de fatores que contribuem para isso, porém, tentar reverter esse quadro só em longo prazo, e quem sabe em décadas com educação de qualidade, distribuição de renda mais justa, saúde acessível e investimento em marketing que ressaltem a valorização da vida e família. Há uma expressão bem conhecida ultimamente que a vida não está valendo um botão de camisa. “A vida me ensinou que a melhor parte é aquela que você aprende a se valorizar.” “Não menospreze o dever que a consciência te impõe, valorize a vida!". A Bíblia ressalta a valorização do ser humano e não a sua degradação, assim também é a valorização à vida “Não matarás” (Ex 20:13).

Ensinando o amor a Deus, a vida e ao próximo
Há princípios que não podem ser desprezados, e a respeito desses as escrituras nos ensinam, porém infelizmente a sociedade vem desprezando tais princípios em nome de uma liberdade que se tornou libertinagem. Uma sociedade sem regras de conduta, normas e discernimento do que é certo e errado, ultrapassará sempre todos os limites impostos aos que querem fazer o certo, para que o errado prevaleça, a exemplo disso temos: a aceitação como normal o aborto e o homossexualismo. Quando amamos a Deus e obedecemos aos princípios estabelecidos por Ele, aprendemos a dar valor a tudo que é bom e proveitoso concernente à vida.

            Precisamos entender que os bons princípios não podem ser deixados para trás, como se não representassem valores. Princípios importantes ensinados pelos pais contribuirão na formação do caráter dos filhos. Tudo começa dentro de casa na família, não devemos passar para os filhos coisas negativas que nada lhes acrescentem na formação do seu caráter. Ensinemos aos nossos filhos e netos o que é bom e proveitoso, sobretudo a palavra de Deus (Pv 22:6) para que tenhamos uma família e sociedade justa e possamos dizer como proferiu Josué “Mas, eu e a minha casa serviremos ao Senhor” (Js 24:15).

Pr. Elis Clementino – Paulista – PE



O PREÇO DA RENOVAÇÃO

ESBOÇO 675
TEMA: A RENOVAÇÃO DA ÁGUIA
TEXTO: ISAIAS 40:31

                A águia é uma das maiores aves, ela se destaca das demais pela sua grandeza e visão, ela é uma das aves que pode viver até aos 70 anos ou mais, há vários tipos de águias, elas se alimentam de aves e outros animais. Nesse comentário discorreremos e tomaremos como exemplo estilo de vida da águia, e compararmos com a vida espiritual.

Águia e o seu estilo de vida
É muito natural tomarmos como exemplo algo que nos inspire a buscarmos algo maior e melhor, principalmente concernente a nossa vida espiritual, pois ela deve estar em constante crescimento e renovação. A águia é o exemplo que usarei para expressar algo que está em minha mente esperando que lhe ocasione algo que necessite para continuar a jornada da fé. Esta espécie de ave pode viver até setenta anos como dissemos anteriormente, ela é o símbolo de força, perspicaz e visão, isso se constitui a sua grandeza e majestade, ela pode medir aproximadamente dois metros e meio de uma extremidade a outra das assas, seu peso pode chegar entre seis a sete quilos. Dificilmente essa ave perde o seu vôo em direção a sua presa, ela vive nos penhascos, lugares altos e rochosos, e de lá ela tem visão panorâmica de tudo em volta de si, ela enxerga a sua presa por minúscula que seja devido a sua visão perfeita e aguçada.

O seu envelhecimento e renovação
Tudo nessa vida envelhece e necessita de renovação devido a sua deterioração, isso acontece com tudo que existe na natureza, mas essa mesma natureza se encarrega de se renovar, isso acontecerá normalmente. A águia com certa idade ela envelhece, aproximadamente aos quarenta anos de idade, as penas envelhecem, o bico se curva, as unhas crescem impossibilitando-a de apresentar a sua exuberância, ela fica triste, abatida e magra pelo seu estado de envelhecimento, no entanto ela tem a oportunidade de se renovar, mas para isso basta uma atitude diante de duas escolhas. Muitas vezes precisamos tomar certas atitudes, e às vezes dolorosas para alcançar nossos objetivos, a atitude tomada pela águia tem um alto custo, mas para ela só resta essas duas escolhas, ou envelhecer e morrer ou enfrentar os sofrimentos para ser renovada. Existem decisões dolorosas que devem ser tomadas para alcançar algo que se deseja. O processo de renovação da águia é muito doloroso, ela se aloja nos penhascos e bate com as unhas e o seu bico curvado na rocha até que caiam e apareçam bico e unhas novas, as penas velhas caem dando lugar as outras novas para voltar a sua atividade habitual, imaginemos os sofrimentos e a dor que causa essa renovação, após esse período ela pode viver mais trinta anos e dar orgulhosamente seus vôos rasantes nos céus azuis e límpidos para demonstrar a sua grandeza.

Todos nós sonhamos e voamos alto nos nossos sonhos parece não haver obstáculos, somos como a águia na sua juventude, como um jovem na sua força que não se dá conta do envelhecimento, certo momento o desgaste bate em nossa porta, pois é nesse momento que nos damos conta que alguma decisão deve ser tomada. A águia tinha duas opções, mas apenas uma deveria tomar; a de morrer pelo envelhecimento ou ir para o abrigo nas rochas em altas montanhas e sofrer o processo doloroso de renovação. No sentido espiritual precisamos sempre buscar renovo, pois quando estamos percebendo o envelhecimento espiritual devemos tomar atitudes para que aconteça esse renovo, embora seja doloroso, pois esse método envolve renúncia, sacrifícios, solidão, jejuns e orações para chegar-se aos ângulos do altar divino e assim termos a renovação, Deus a fonte de renovação.

Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o SENHOR, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Dá força ao cansado, e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor. Os jovens se cansarão e se fatigarão, e os moços certamente cairão; Mas os que esperam no SENHOR renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão. (Is 40:28-30). Se estiveres cansado e sem nenhum vigor, Deus é a tua fonte de renovação.

Pr. Elis Clementino-Paulista-PE

AD Excelência-PE

Foto