ESBOÇO 816 A FÉ TRIUNFA NA ADVERSIDADE

ESBOÇO 816
TEMA: A FÉ TRIUNFA NA ADVERSIDADE
TEXTO: HABACUQUE 3:17-18

O triunfo da nossa fé depende da maneira e como a usamos. Muitos fazem uso da fé em algo incapaz de realizar qualquer obra em seu favor, outros põem em Deus, mesmo sem vê-lo, eles são considerados bem-aventurados “bem-aventurados os que não viram e creram” (Jo 20:29). Os que depositam em Deus a sua confiança jamais ficarão sem resposta. A fé é abstrata e está ligada a alma e o espírito humano, a fé viva em Deus não se manifesta isoladamente sem conexão com ele, quem tem fé em Deus crer que ele existe e é galardoador dos que o buscam (Hb 11:6). Aqueles que vivem e morrem firmes na fé se regozijará na salvação final garantida em Cristo o nosso redentor. O único capaz de guardar a sua fé é você “Paulo, guardei a fé”. Cada vez que você se aproxima de Deus a sua fé é aumentada. Não desanimem, ainda que tudo lhes faltem (Hb 3:17-18).

1. A natureza da fé
O escritor aos hebreus explica a natureza da verdadeira fé, não daremos uma definição, mas uma pequena descrição.

A fé é a confiança naquilo que não se vê, (Hb 11:1), ela se desenvolve ainda mais quando passamos a ter uma experiência mais profunda com Deus e ao ouvir a sua palavra “o crer vem pelo ouvir”. A nossa crença na salvação é proveniente da fé.

A fé não pode ser explicada de maneira natural (I Co 2:14,15) como ela funciona, de que maneira ela se processa e se manifesta na mente humana. A fé não é meramente um pensamento positivo como alguns dizem, pois a fé é processada na mente humana e está concatenada com o mundo espiritual, ela pode se manifestar de maneira construtiva e destrutiva, ou seja, tanto para o bem, quanto para o mal, depende de como usá-la e a quem ela está sendo direcionada. Uma mente carregada de maldições é capaz de influenciar na vida das pessoas, ou seja, o uso de uma fé maléfica influencia sobre as pessoas.

A fé não somente é para se obter milagres divinos, como também como forma de demonstrar a sua crença e confiança em Deus. É através da fé que podemos ser justificados por Deus como foi Abraão (Rm 4:1-3).

O estimulo da fé
O escritor aos hebreus estimula a nossa fé descrevendo sobre inúmeras pessoas que viveram uma vida de confiança em Deus, indivíduos que não retrocederam mesmo diante dos seus oponentes permaneceram firmes (Hb 11:1-40). Os verdadeiros crentes não recuam (Hb 10:26-31), lembremos  das palavras de Habacuque em sua oração (Hc 2:3; Hb 10:38,39). Os heróis foram submetidos as mais terríveis humilhações e martirizados a fio de espada, contudo continuaram firmes e da fraqueza eles tiraram força (Hb 11:34). 

                Tomemos como exemplo as lições de fé daqueles grandes heróis do passado. Muitos cristãos ainda são e serão submetidas a duras provações por professarem a sua fé em Cristo. A nossa fé viva se manifesta quando estamos focados em Deus, pois não são as coisas efêmeras desta vida que nos levam a acreditar em Deus, mesmo que tudo falte, a nossa fé deve triunfar. A alusão da figueira, da oliveira, dos cereais e dos rebanhos abrangendo toda produção agrícola, dos quais a nação dependia (Hb 3:17-19), e a invasão dos inimigos certamente destruiriam todo fruto de um longo e exaustivo trabalho, árvores e colheitas, bem como os animais, mas isso não seria o suficiente para apagar a chama da fé, mediante toda ruína descrita o profeta estava confiante “Todavia eu me alegrarei no Senhor e exultarei no Deus da minha salvação.” (Hc 3:18). Só há duas expressões fortes e diferenciadas na bíblia a respeito da fé declarada verbalmente que eu considero, principalmente quando tudo acaba “Ainda que a figueira não floreça, não haja fruto na vide, o produto da oliveira minta, nos corrais não haja vacas, as ovelhas da malhada sejam arrebatadas, todavia eu me alegrarei no Deus da minha salvação.” A fé de Jó “Nu sai do ventre da minha mãe, nu tornarei para lá, o Senhor deu o Senhor tomou, bendito seja o nome do Senhor.” (Jó 1:21).

Pr. Elis Clementino


ESBOÇO 815 CRISTO, O MODELO A SER SEGUIDO

ESBOÇO 815
TEMA: CRISTO, O MODELO A SER SEGUIDO
TEMA: Sede meus imitadores, como também eu de Cristo I Coríntios 11:1

                Tudo o que o homem faz na vida é inspirado em alguma coisa, nada se cria sem que primeiro tenha uma déia, ou a noção de algum tipo já visto antes, um exemplo prático são as leis humanas, elas existem porque há modelo, as leis divinas. Atualmente elas influenciam no mundo inteiro. As pessoas podem influenciar sobre as outras pessoas através do seu jeito, das suas obras, das suas decisões por séculos, gerações e gerações, assim não se sabe até aonde vai o poder da influência humana.

O poder da influência
Cada pessoa independentemente de cor e raça tem um grande poder de influência, como já dissemos antes. O homem sozinho pode não influenciar em muitas coisas, mas é possível ele influenciar com o auxilio de outras pessoas. Na Bíblia temos um grande exemplo que podemos utilizá-lo com referencia, Saulo de Tarso, a sua má influência foi capaz de refletir no cristianismo no mundo inteiro, depois de convertido através do encontro com o Senhor a sua boa influência resultou em lições que até hoje são aprendidas e praticadas por muitos cristãos no mundo inteiro. Não podemos dimensionar até aonde vai o poder da influência de uma só pessoa, o modelo de Cristo foi imitado por Paulo que por sua vez passou pediu aos cristãos que o imitasse, assim como ele imitava a Cristo (I Co 11:1).

Qualquer pessoa por mais ínfima que ela seja é capaz de influenciar sobre as outras pessoas, por essa razão devemos considerar a responsabilidade que ela tem. Um pai pode arruinar ou salvar um filho; uma mãe pode erguer ou degradar uma filha, esse exemplo é para mostrar que a influencia de um único homem se propaga, não como uma corrente, mas como um incêndio, fagulha após fagulha, saltando de vida para vida, isso atravessando continentes, e cruzando séculos. Imaginemos a influência de erro de Adão, em contraste com a boa influência de Abraão na história da humanidade.

Paulo, um exemplo para os cristãos
Antes da conversão ele influenciava de maneira maléfica sobre a igreja no primeiro século, mas ao encontra-se com o Senhor a sua vida deu um giro de 360 graus, de perseguidor passou a ser perseguido. Paulo ao chegar à igreja em Jerusalém enfrentou rejeições por parte dos discípulos dentro da própria igreja, os apóstolos não confiavam nele, ele começou a sentir a dor da rejeição, daí começo a maratona de sofrimentos como o Senhor havia mostrado em visão a Ananias a respeito de Saulo, “Mas o Senhor lhe disse: Vai, porque este é para mim um vaso escolhido para levar o meu nome aos gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel; pois eu lhe mostrarei quanto importa sofrer pelo meu nome” (At 9:15,16). Já imaginou o quanto a vida e sofrimentos de Paulo alcançaram?

Os sofrimentos de Paulo
1. Ele foi preso injustamente (I Co 11:32-33).
2. Ele foi expulso de Antioquia pelos grandes da cidade por causa do evangelho (At 13:50-51);
3. Foi quase morto por apedrejamento em Listra e lhe deram por morto (At 14:19);
4. Na Macedônia ele foi preso e teve os pés amarrado no tronco (At 16:23-24);
5. Foi perseguido pelos judeus que queriam matá-lo porque pregou em Bereia (At 17:13-14);
6. Gerou uma grande confusão ao pregar em Éfeso contra os deuses daquela cidade (At 19:23-26);
7. Foi perseguido e quase morto porque levou um grego ao templo (At 21:27-31);
8. Paulo foi preso em Roma, além de sofrer um naufrágio em Mileto (At 27:13-20);
9. Foi picado por uma cobra venenosa (At 28:3);
10. Foi preso em Roma e decapitado pelo seu maior inimigo, o imperador Nero por volta dos anos 67 ou 68 d.C

               A história de Paulo de Tarso contagiou o mundo, nem ele próprio tinha a dimensão do impacto que ele poderia causar na história do cristianismo na humanidade. Paulo influenciou diretamente na vida dos cristãos em todo mundo, ele não mediu esforços, nem a sua vida teve por preciosa por amor ao evangelho de Cristo (At 20:24; 21:13). Atualmente muitos cristãos em todo mundo sofrem perseguições e são até mortos por amor a Cristo, mas fortalecidos pelas cartas de Paulo os cristãos permanecem firmes, ele também conclama todos cristãos a permanecerem fieis sendo seus imitadores assim como foi de Cristo (Ef 5:1). Amados o nosso exemplo de vida como cristão pode influenciar, salvar e conduzir muitas pessoas aos pés de Cristo e sejamos o seu modelo.

Pr. Elis Clementino

ESBOÇO 814 ESPÍRITO DE ENGANO

ESBOÇO 814
TEMA: ESPÍRITO DE ENGANO
TEXTO: Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai os espíritos, se vêm eles de Deus; porque muitos falsos profetas têm aparecido no mundo. I JOÃO 4:1

Por mais entendido que o indivíduo seja está sujeito ao engano, e por mais espiritual que ele seja também está sujeito ao engano, mesmo que ele tenha o dom de discernimento ainda está sujeito a ser enganado. Há momentos que necessitamos de uma orientação, uma palavra para poder tomar algumas decisões em momentos decisivos da vida, porém é nessa hora que muitas vezes surge o engano. O engano está presente em todos os lugares, ele se torna ainda mais perigoso quando é espiritual, o engano pode se tornar uma pedra de tropeço no seu relacionamento com Deus, principalmente quando o crente não está sob uma proteção espiritual de um líder como aconteceu com Saul após a morte de Samuel optou consulta através da necromancia.

O que é necromancia?
necromancia ou nigromancia (necro do gr.cl. νεκρός (nekrós) "morte" e mancia de μαντεία (manteía) "adivinhação") é a suposta arte de se comunicar com o mundo espiritual para obter informações do passado, do futuro ou do pós-vida por meio da evocação dos mortos ou dos espíritos destes, utilizando-se ou não dos restos ...Necromancia – Wikipédia, a enciclopédia livre
https://pt.wikipedia.org/wiki/Necromancia

Saul perde o seu guia espiritual
Após a morte de Samuel, guia espiritual de Saul (Hb pedido a Deus), ele não ouvia mais a voz de Deus através de Samuel, essa situação o levou ao desespero a ponto de querer ouvir algo que lhe desse uma direção, mas é preciso ter muito cuidado com esse tipo de desejo. Quem precisa ouvir uma orientação divina busca através da leitura da palavra de Deus e das orações, tanto a palavra quanto as orações podem contribuir para o bem, e aquilo que ouvimos fora da palavra pode influenciar de maneira negativa no indivíduo. Deus não falava com Saul nem por sonhos (revelação pessoal) e nem por Urim e tulmim, nem por profetas, pois ele havia banido da terra todos os adivinhos, encantadores e feiticeiros, os reis pagãos consultavam essas pessoas, pois eles criam que os mortos falavam através deles., porém Saul acreditava em Deus e por isso consultava a seu guia espiritual Samuel, pois foi nessa necessidade que ele optou por consultar a feiticeira Em-Dor (I Sm 28:6,7,9).

Urim e tulmim são nomes dados ao processo de revelação sacerdotal (Ex 28:30), esse método era utilizado pelos antigos israelitas para descobrir a vontade de Deus sobre uma determinada coisa. Os cristãos acreditam serem duas pedras colocadas no peitoral do Sumo Sacerdote de Israel, elas tinham duas faces, uma de respostas negativas e outra face de resposta positiva, fazia-se a pergunta e jogavam as pedras e elas conforme a posição era tida como uma resposta divina.

1. O espiritismo
1.1. É uma doutrina baseada na crença da sobrevivência da alma e da existência da comunicação por meio da mediunidade ou médiuns (pessoa que intermédia entre os vivos e os mortos) ou entre os espíritos encarnados e os desencarnados; 1.2. A palavra espiritismo pode indicar apenas um ponto de vista do mundo em que o espírito humano continua existindo após a morte biológica, e é capaz de se comunicarem com os vivos.

2. A sua organização
2.1. O espiritismo teve inicio sem qualquer base nas escrituras, eles usavam outros livros com o propósito de firmarem as suas doutrinas. Ele foi iniciado na França e cuja finalidade era contra-atacar o positivismo. (Filos. Sistema criado por Augusto Comte, que se baseia nos fatos e nas experiências, e que deriva do conjunto das ciências positivas, refletindo a metafísica e o sobrenatural.); 2.2. O espiritismo foi organizado em 1848; 3.3. Devido os fenômenos psíquicos produzidos pelas irmãs Fox; 4.4. Esses fenômenos foram interpretados como manifestações de espíritos humanos desencarnados querendo comunicar-se com os vivos.

3. Seus Ensinamentos.
3.1. O homem é um espírito e o seu corpo físico é o veículo da alma; 3.2. O homem na qualidade de espírito sobrevive ante a morte biológica; e o espírito, uma vez liberado do corpo, é capaz de se comunicarem com os seres humanos que aqui continuam; 3.3. Que há um progresso, no mundo dos espíritos, é infindo, caminhando em direção as perfeições; 3.4. Todos os espíritas são universalistas, acreditam que é impossível que todos os espíritos atinjam a perfeição; 3.5. Os espíritas baseiam-se e citam esse texto para justificar a sua religião (1 Sm 28: 7-25); 3.6. Os médiuns determinam que espírito faça subir (vem de baixo) (I Sam 28:11); 3.7. O espiritismo mostra que o espírito humano pós-morte, fica sem controle divino, pois conforme a parábola de Jesus eles tem lugares definidos, no seio de Abraão, ou o lugar de tormenta, de forma que não existe contato algum (Lc 16:22,26); 3.8. Os espíritas supõem que os profetas eram médiuns, porque eram mediadores da mensagem de Deus; 3.9. Eles ainda admitem também que há fraudes nas suas sessões espirituais.

4. Qual o Conceito Bíblico sobre o Espiritismo?
4.1. A bíblia condena esse tipo de prática (Dt 18:9-12; Ex 22:18; Lv 19:26-31); 4.2. Deus sempre se opõe a esse tipo de coisa, não se entra em contato com os mortos, mas, com os espíritos demoníacos e enganadores; 4.3. Os mortos não podem retornar (2 Sm 12:23); 4.4. Os mortos não se comunicam com os vivos (Lc 16:24-26; Hb 9:27).

5. Saul consulta a feiticeira
Não adianta buscar a Deus sem abandonar os maus caminhos, por essa razão Saul entrou em um profundo desespero, embora não havia nenhuma justificativa para que ele buscasse os espíritos, era somente mudar os seus caminhos e buscar a Deus; 5.1. Saul procurou a feiticeira em Em-Dor (I Sam 28:7) chamada a bruxa de Endor, uma necromante que morava no vilarejo de Endor; 5.2. Disfarçou-se, vestindo outra roupa, e enganou a feiticeira, (I Sam 28:9), inicialmente a feiticeira foi enganada; 5.3. Não dá para acreditar que Samuel um homem santo durante a sua vida, pudesse obedecer a uma feiticeira (I Sam 28:11); 5.4. Não da para entender Deus ter proibido a consulta aos mortos e depois ele mesmo concordar que a feiticeira trouxesse, de fato, o espírito de Samuel (Tg 1:17); 5.5. A feiticeira disse: vejo deuses, que idéia se pode ter? Demônios se passando por espírito de luz. (I Sam 28:13); 5.6. O Diabo pode transfigurasse e enganar a muitos (2 Co 11:13-14; Mc 5:9; Lc 8:30); 5.7. O pecado máximo de Saul foi consultar a feiticeira, e muitos textos da Bíblia proíbem esse tipo de consulta (Is 8:19; Gl 5:20; Ap 22:15).

7. Resultado da Consulta.
A feiticeira invocou o espírito do suposto Samuel, no entanto essa ação contraria a vontade de Deus, conforme (Dt 18:20-22), O suposto Samuel disse a Saul que ele seria entregue aos filisteus.  O que não aconteceu. (I Sm 28:19; I Sm 31:11:13; I Cr 10:5). (mostrar episódio vers. 19). Disse ainda o suposto Samuel que todos os filhos de Saul seriam mortos em batalha, mas só morreram três, Jonatas, abnadabe e Melquisua, ainda lhes ficaram vivos três, contrariando assim o que o suposto Samuel lhe dissera (I Sm 28:19; I Cr 10:2,6). A desobediência a Deus resultou em sua morte (1 Cr 10:13 I Sm 31:4), mas não como o suposto Samuel havia dito. A bíblia diz que as palavras de Samuel nunca caíram por terra, isso é mais uma prova não ser Samuel (1 Sm 3:19).

Irmãos não devem ser levados em consideração tudo aquilo que contraria as escrituras. A desobediência tem um preço e trás sempre um juízo divino. Consultar os mortos é proibido nas escrituras basta ler em (Lv 19:31; I Cr 10:13,14). O que se vê nos filme e nas novelas não é outra coisa a não ser desfazer o que diz a palavra de Deus a respeito da consulta aos mortos. Deus condenou a ação de Saul e por causa da sua desobediência pagou com a vida (I Cr 10: 13,14). Tenham cuidado para não ser enganado por programações que a mídia transmite hoje pregando o espiritismo, e ainda têm crentes que até choram pensando ser verdade. Há uma separação entre os vivos e os mortos, porém nós cremos que um dia veremos os que morreram em Cristo na presença Deus na reunião dos remidos. Ele respondeu: “Enquanto a criança ainda estava viva, jejuei e chorei. Eu pensava: Quem sabe? Talvez o Senhor tenha misericórdia de mim e deixe a criança viver. 23 Mas agora que ela morreu, por que deveria jejuar? Poderia eu trazê-la de volta à vida? Eu irei até ela, mas ela não voltará para mim”. (2 Sm 12:22-23).     Pr Elis Clementino

ESBOÇO 813 SUJEITANDO-SE A DEUS

ESBOÇO 813
TEMA: SUJEITANDO-SE A DEUS
TEXTO: Sujeitai-vos a Deus, resisti ao Diabo e ele fugirá de vós - TIAGO 4:7

                Um dos princípios fundamentais para o cristão obter segurança é obedecendo a Deus, quando fazemos isso certamente estaremos protegidos para não sermos destruídos pelo nosso maior adversário espiritual “o Diabo”, por isso a proteção divina é necessário durante toda a vida do cristão aqui na terra. Deus nos garante livramento em todos os aspectos da vida, assim como as bênçãos divinas, mas com uma condição, se formos obedientes a ele.

1. Ofensiva do inimigo
O ladrão não vem, senão para roubar, matar e destruir (Jo 10:10), portanto, nós temos um grande opositor querendo nos destruir, por isso a recomendação paulina é Sede sóbrios; vigiais; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como um leão, buscando a quem possa tragar.” (I Pe 5:8). É certo que há uma proteção divina, o anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem e os livra (Sl 34:7), contudo devemos fazer a nossa parte que é resisti-lo. Satanás pediu para cirandar com Pedro e o Senhor intercedeu por ele e o livrou (Lc 22:31,32).

2. A defensiva cristã
Existem dois meios pelos quais podemos cancelar a ação do diabo contra nós “vigiar e Orar” (Mt 26:41), não podemos dormir ou dar vacilo, o inimigo é astuto. “Revesti-vos de toda armadura de Deus, para que possais resistir as astutas ciladas do diabo.” (Ef 6:11-13). A melhor maneira de resisti-lo é sujeitando-se a Deus (Tg 4:7). Sabemos que estamos engajados numa grande luta espiritual, não podemos vacilar e muito menos ceder à tentação, as armas da nossa milícia não são carnais (2 Co 10:4), assim torna-se mais perigosa pois são inimigos espirituais e não podemos vê-los a olho nu (Ef 6:12).

Davi era um guerreiro valente que venceu o Golias, o maior gigante ameaçador de Israel, mas ele caiu aos pés de uma mulher (2 Sm 11:2-5). Na guerra entre o seu espírito e a carne prevaleceu a carne, o seu pecado trouxe um grande prejuízo para Israel e toda a sua família. Não há herói nessa peleja, o que nos torna vitorioso é o SENHOR, ninguém se dê por seguro sem o auxilio divino “Não é dos fortes a vitória, nem dos que correm melhores, mas dos fieis e sinceros que seguem junto ao Senhor”. “Observei ainda e notei que debaixo do sol os velozes nem sempre vencem a corrida; os mais fortes nem sempre triunfam nas batalhas; os sábios nem sempre têm com o que se alimentar; nem a fortuna acompanha sempre os prudentes; nem os bem instruídos e inteligentes têm garantia de prestígio e honra; pois o tempo e o acaso afetam a todos indistintamente.” (Ec 9:11).

Há três coisas que podem comprometer a vida devocional do crente com Deus, os ouvidos, os olhos e a boca, há coisas que não devemos aguçar os nossos ouvidos para ouvir, e nem com os olhos devem cobiçar, e a boca nem tudo deve falar. Existem pessoas que o diabo se utiliza desses três membros do corpo para fazê-la tropeçar desobedecendo ao Senhor. Os olhos vêem, o ouvido ouve, o coração maquina o mal e a boca fala do que está cheio o coração (Mt 12:34). Se o cristão não se submeter a Deus nada adianta, ele vai andar o seu caminho sozinho sem a proteção divina.

A Bíblia recomenda: Não deis lugar ao diabo (Ef 4:27-32), muitos cristãos tem facilitado, mesmo sabendo que o diabo não respeita posição. Não pense que você tem a capacidade de vencê-lo por sentir-se tão espiritual, ele tem as mesmas características das serpentes, elas picam as suas vítimas e esperam que ela tombe mais adiante, as serpentes confiam no seu veneno, pelo menos algumas delas que conhecemos agem assim. O diabo age da mesma maneira, ao dar um vacilo, ela lhe fere hoje para que amanhã você tombe aos seus pés, repito a frase anterior “Não é dos fortes a vitória, nem dos que correm melhores, mas dos fieis e sinceros que seguem junto ao Senhor”, por isso é necessário vigiar e orai para que não entreis em tentação. (Mt 26:41), “Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe não caia. Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (I Co 10:12,13).

                Amados, os maiores antídotos contra as tentações consistem em vigiar, orar e jejuar (Mt 26:41), santificando a vida aos pés de Cristo para prosseguir a sua carreira até o final. Vigiemos constantemente porque o diabo nos acompanha até o ultimo instante da vida procurando brechas, mas se não dermos oportunidade encerraremos o nosso combate com a fé intacta. “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.” (2 Co 4:7).

Pr. Elis Clementino


ESBOÇO 812 DUAS COISAS QUE SE CONTRAPÕEM

ESBOÇO 812
TEMA: DUAS COISAS QUE SE CONTRAPÕEM
TEXTO: “Vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria.” Provérbios 11:2

                Entre muitas coisas existem duas que se contrapõem entre si, a humildade e a soberba, no meu conceito há uma linha divisória entre as duas, fazendo com que uma se oponha a outra, ou seja, elas se objetam entre si, a humildade e a altivez possuem características opostas. A Bíblia Sagrada condena intensamente à soberba, e alerta a todos que tenham cuidado, porque ela precede a ruína, e a altivez do espírito à queda (Pv 16:18; Pv 18:12a), já a humildade precede a honra (Pv 18:12b).

1. Altivez e humildade
1.1. A altivez é uma qualidade de pessoas que tem amor próprio e consideram-se superiores ou dignos mais do que os outros, embora no meu entender a soberba esteja relacionada a um comportamento arrogante ou soberbo. “A altivez, assim como pode conotar uma qualidade, por exemplo, a característica de digno e nobre, também pode ser utilizada de maneira pejorativa, revelando alguém arrogante ou muito pomposo, que age com presunção”. O homem soberbo não tem a dimensão do que a soberba pode causar-lhe, Jesus falou aos seus discípulos o que causaria a arrogância do coração “E o que a si mesmo se exaltar será humilhado...;” (Mt 23:12ª). Na Bíblia Sagrada há exemplos de pessoas que não foram humildes, entre elas quero citar um que por causa do orgulho quase perdia o seu milagre, isso mostra o quanto é ruim o orgulho. Naamã o General Sírio, era leproso e conforme o profeta Elizeu ele deveria dar sete mergulhos no rio Jordão, porém o nobre general se recusou a dar esses sete mergulhos porque o rio Jordão estava com a água turva (Para cada milagre uma exigência divina com provas de fé). É importante ressaltar que por falta de humildade o indivíduo pode deixar de alcançar as grandes oportunidades na vida, especialmente quando se trata das bênçãos espirituais provenientes de Deus. “Deus resiste aos soberbos, mas dá graças aos humildes” (Tg 4:6).

1.2. Humildade
Modéstia, submissão, subserviência, também é o reconhecimento das nossas debilidades. Existe também a falsa modéstia, que nada mais é do que artificiosa ou falaz. As pessoas com essas características não vão muito longe, o seu engano, bem logo será revelado, porque o indivíduo não consegue segurar a falsidade por muito tempo por ela ser superficial, e como maquiagem que se vai durante a noite e logo na manhã seguinte a realidade aparece. A falsa modéstia pode enganar, mas não por muito tempo, pois a tendência humana é expor o que há dentro de si. JOSUÉ, o sucessor de Moisés foi enganado (Js 9:1-17,14-17,22). Os fariseus também apresentavam uma humildade e justiça aparente (Mt 23:27-32).

2. A verdadeira humildade
2.1. Ela é de dentro para fora, e não é fantasioso, ela estar presente nas pessoas e é espontânea, não é algo forçado e tem como característica a simplicidade, independentemente de crença, raça, cor e posição social. A humildade fica bem em todo lugar, além de enobrecer o indivíduo, principalmente quando a humildade é espontânea (Gn 13.8-18); ou seja, sem forçar, saindo de dentro do coração (Pv 16.19; Mt 11,29); Ela é acompanhada pela mansidão e longanimidade (Ef 4.2; Cl 3.12); ela é desprovida de qualquer arrogância, ela manifesta-se no fruto do Espírito. A humildade é escoltada pela benignidade e temperança (Gl 5.22); É um revestimento para o ser humano (I Pe 5.5); É uma credencial para entrada no reino dos céus (Mt 5.3). Abrão foi honrado por Deus pela sua atitude de humildade, mediante a disputa de terra pelos seus pastores e os de Ló seu sobrinho. A humildade precede a honra (Pv 18:12), assim a humildade é coroada pela honra.

2.2. Humildade mediante o chamado divino
Todos que desejarem a fazer a obra de Deus, esse é um dos requisitos necessário “a humildade”. Há alguns exemplos nas escrituras que devem ser seguidos: Jacó após o desacerto com seu irmão Esaú, orou a Deus e se humilhou ao encontrar-lhe (Gn 32.10); Saul diz ser o menor e reconhece a sua fragilidade diante de Samuel (I Sm 9.21); Davi diante do Senhor ele se julga ser incapaz “Quem sou eu” (2 Sm 7.18); Salomão “eu sou apenas um menino” (I Rs 3.7); Isaias o profeta “ai de mim” (Is 6.5); Jeremias, “sou uma criança” (Jr 1.6); João Batista no batismo de Jesus (Mt 3.14); Paulo “eu sou o principal pecador” (I Tm 1.15); diante de Jesus o centurião disse: não sou digno que entre debaixo do meu telhado (Mt 8.8); A mulher Cananéia “Os cachorrinhos também comem das migalhas” (Mt 15.27).

Somente os humildes serão recompensados (Pv 22.4; I Sm 1.15,16); Honrados por ser humildes (Pv 15.33); Triunfarás se tudo quanto fizerdes for por humildade (Fl 2.3); Bem-aventurado os humildes de espírito, porque terão lugar no céu (Mt 5.3). A falta de humildade tem levado muitas pessoas ao fracasso, por isso necessitamos de humildade, não somente na aparência, mas no coração. Os simples deixam as diferenças de lado e se abraçam como fez Jacó e Esaú (Gn 33.3-10). Sejamos humildes, nada perderemos por isso. “A humildade é a mais difícil das virtudes cristãs” T.S. ELIOT. Filipenses 2:3 - "Nada façais por contenda ou por vanglória, mas com humildade cada um considere os outros superiores a si mesmo."


Pr. Elis Clementino

Foto